Buraco 01

buraco-01

Par 4

Um buraco forte para inicio de volta, com um "dogleg" apertado da direita para a esquerda..

Arriscar-se a pancada do "tee" pela esquerda resulta encurtar a distância da, segunda pancada para o green.

O "landing zone" da pancada de saída é contudo generoso..

A pancada de aproximação ao "green" é dificultada pelo comprimento do "green", which can make as much as a 3-club difference from front to back, A posição da bandeira afecta a escolha do taco até 3 tacos diferentes, com "bunkers" a guardar o "green" à direita e à esquerda..

Buraco 02

buraco-02

Par 5

Um Par 5 clássico. “Cortar o & canto do lago com” Par 5. permite atacar o "green" , à segunda pancada.
O "green" é relativamente plano, mas um pouco elevado em relação ao "fairway".

O "dog-leg" à esquerda , para quem ouse arriscar. , todavia, um erro resultará em tragédia.

Buraco 03

buraco-03

Par 3

Um buraco aparentemente simples que pode causar inúmeros problemas.

A pancada do "tee" poderá ser com um "wedge" ou com uma madeira de "fairway".

Existe uma zona generosa “de fairway ” à esquerda de um "green", comprido e com dunas de areia e vegetação endémica a protegê-lo à sua direita.
A escolha do taco e o control de distância são a chave neste buraco. Acertar no "green" não garante um "par", visto a ondulação deste necessitar de uma leitura e execução precisa.

Buraco 04

buraco-04

Par 4

Um buraco com uma estética natural formidável, com um "green" elevado, uma duna primária convertida em "bunker" natural à esquerda e com um "bunker" grande de "fairway" à direita.

O segredo neste buraco é colocar a bola no centro esquerdo do "fairway" a partir do "tee" e não arriscar o lado direito.
Deixar a bola no "green" abaixo do buraco com a pancada de aproximação é fundamental, sob pena de ter um dos "putts" a descer mais rápidos do campo.

Buraco 05

buraco-05

Par 4

Muito provavelmente o mais difícil Par 4 do campo, suficientemente comprido dos "tees" amarelos e um verdadeiro monstro dos "tees" brancos.

A pancada de saída tem de ser jogada com confiança para o centro-direito do "fairway", de forma a permitir o melhor ângulo de ataque com a segunda pancada para um "green" elevado em forma de anfiteatro.

Um par neste buraco deverá ser considerado um feito.

Buraco 06

buraco-06

Par 4

Um contraste formidável , entre os buracos "semi-links" e os buracos "parkland" do campo.. Um ligeiro "dog-leg" à direita, que juntamente com o "tee" elevado seduz o jogador a bater o "drive" para o lado direito do "fairway".

Isto resultará, na melhor das hipóteses, num "bogey". A linha ideal é o centro do "fairway". A pancada de aproximação é com um ferro médio ou curto para um "green" difícil, com uma lomba no centro, o que dificulta significativamente o "putt".

A zona de "bail-out" é à esquerda do "green", estando este protegido com árvores e dunas à direita.

Falhar no "green" à esquerda significa ter de jogar uma pancada "flop" para salvar o par.

Buraco 07

buraco-07

Par 5

Um belo Par 5, com o “green” fora de alcance na segunda pancada para a maioria dos golfistas.

A pancada de saída é intimidante com árvores de ambos os lados. A pancada de aproximação é dificultada pelo facto do “green” ser estreito e longo, protegido à direita por “bunkers”.
O comprimento do “green” obriga a uma selecção cuidada do taco a utilizar, sob pena de ficar a 40 metros (120 ft) da bandeira.

Buraco 08

buraco-08

Par 3

Um buraco curto de assinatura, que normalmente se joga contra o vento. A selecção do taco correcto é primordial, face ao lago que se estende do "tee" ao "green". Um buraco exigente “de qualquer” dos "tees" de saída.

Buraco 09

buraco-09

Par 4

Mais um Par 4, para terminar os primeiros 9 buracos. Este buraco que se joga habitualmente contra o vento..

O "rough" penalizante à direita e à esquerda obriga a uma boa pancada de saída. A zona de impacto é maior do que parece do "tee"..

Todavia o "green" é largo e pouco fundo , o que faz com que a pancada de aproximação seja mais comprida do que parece.
Deverá assim optar-se sempre por um taco a mais do que se julga na aproximação ao "green".

Buraco 10

hole-10

Par 5

Um buraco visualmente apelativo com os seus "tees" elevados, oferecendo uma vista panoramica do "resort" com o Oceano Atlântico de fundo.
"Out-of-bounds" à esquerda ao longo de todo o buraco, mas com bastante espaço à direita.

Um "drive" comprido oferece a possibilidade de se atacar o "green", mas o "green" encontra-se bem guardado por um lago à direita. A opção mais segura é utilizar um ferro médio para uma zona de impacto generosa a 70 m (77 yds) do "green"e de seguida bater um "wedge" controlado, face ao comprimento do "green". Um dos mais planos da Praia D'El Rey.

Buraco 11

hole-11

Par 3

O mais difícil Par 3 na Praia D'El Rey. Com um "green" bastante elevado, este buraco joga-se mais comprido do que parece, pelo que a escolha correcta do taco é primordial.

Com dunas primárias e "bunkers" a proteger o "green" dos lados e atrás, a única zona considerada "bail-out" é antes do green, o que deixa um "pitch" difícil para um "green" elevado.

Buraco 12

hole-12

Par 5

Um buraco tipo "links", a atacar o "green" do "tee". Uma boa oportunidade de "birdie", mesmo considerando que joga habitualmente contra o vento.

Uma boa saída, à esquerda , do centro do "fairway" permite atacar o "green" à segunda pancada. Na eventualidade de se optar por jogar a segunda pancada curto do "green", a perícia do "pitch" será testada, especialmente se a bandeira estiver colocada à direita, atrás do "bunker".

O "green" também está guardado por "bunkers", à esquerda e atrás.

Buraco 13

hole-13

Par 4

Um buraco tipo "links", a atacar o "green" do "tee". Uma boa oportunidade de "birdie", mesmo considerando que joga habitualmente contra o vento.

Este buraco curto tentador recebe-o na costa do Atlântico. Com uma vista incomparável, este Par 4 é uma boa oportunidade de "birdie", mas que pode acabar em lágrimas caso a pancada de saída seja demasiado gananciosa.

Um dos "greens" mais estreitos e compridos do campo, que requer um bom controlo de distância na pancada de aproximação.

Buraco 14

hole-14

Par 3

Um buraco curto mas exigente, susceptível à brisa maritima, com um “green” estreito e comprido, protegido por vários “bunkers” de ambos os lados. Dependendo do vento, poder-se-á utilizar desde um ferro curto a uma madeira de “fairway”.

Buraco 15

hole-15

Par 4

Um buraco à beira-mar extraordinário, com a praia e "out-of-bounds" à esquerda , e com "bunkers" e rough penalizante à direita, que obriga a uma pancada certeira do "tee". Um "drive" longo poderá atingir a descida entre os dois patamares de "fairway" , e deixar uma pancada de aproximação curta para um "green" enorme e ondulado com um elevado grau de dificuldade.

Buraco 16

hole-16

Par 4

Um Par 4 visualmente assustador que joga mais curto do que parece. O “fairway” a subir faz com que a aproximação ao “green” seja difícil de aferir, especialmente quando a bandeira se encontra posicionada no patamar de trás.

Buraco 17

hole-17

Par 5

O buraco mais comprido da Praia del Rey e também o "stroke index" 1.

O "dog-leg" à esquerda , e a brisa predominante a favor, faz com que utilizar um "driver" to "tee" não seja a melhor alternativa, em virtude de facilmente se esgotar o "fairway" e se entrar no "rough" pesado que protege este buraco ao longo de todo o seu comprimento.

Três boas pancadas são necessárias para chegar ao "green", a ultima destas a mais difícil, o "green" é o mais pequeno da Praia D'El Rey, protegido por um "bunker" e uma duna primária com vegetação endémica. Um Par neste buraco mais parece um "birdie".

Buraco 18

hole-18

Par 4

Uma forma deslumbrante de acabar a experiência da Praia del Rey. Um “dog-leg” para a direita obriga a uma saída por cima das árvores à direita para encurtar a distância para o “green”. Uma pancada do tee apontada para o que se depreende como o centro do “fairway” irá acabar no “rough” à esquerda ou no “bunker” de “fairway”.

O “green” está aninhado num canto, protegido por árvores e “bunkers” à direita e uma duma natural à esquerda, quando a bandeira se encontra posicionada na parte de trás do “green”, a aproximação é uma das mais difíceis do campo.